Sexo sem amor, é saudável?

Sexo sem amor, é saudável

Segundo Vi Keeland, autora best-seller do The New York Times, em uma história irreverente, sexy e emocionante que nos deixa com uma “pulga” na orelha… Todavia, só lendo este belo romance para saber se Sexo sem amor, é saudável.

Hunter e Nat se conheceram em uma festa de casamento – ele entre os convidados do noivo, e ela, da noiva. A atração era intensa e mútua, mas Nat, depois de seu último e desastroso relacionamento, havia prometido não mais se interessar por homens charmosos, convencidos e lindos de morrer.

Até que, certa noite, Hunter aparece na casa da mãe dela durante uma reunião familiar. Ele iria trabalhar durante oito semanas na cidade em que Natalia morava e, então, propôs que passassem esse período transando até não poder mais.

Oito semanas de sexo maravilhoso sem compromisso? O que ela teria a perder?

“Nada”, pensou. “É só sexo, não amor.”

Mas será que isso vai dar certo? Será que Sexo sem amor, é saudável?

Veja também: Como Aumentar a Libido em Mulheres e Homens!

Romances a parte, vamos a vida como ela é!

Sexo sem amor, é saudável

O sexo é uma necessidade como tomar banho!

Fazer sexo sem compromisso porque muitas pessoas creem que com suas idades mais avançadas podem se permitir isso. Eles alegam ter a necessidade de fazer sexo mesmo não estando compromissadas.

É uma necessidade básica, assim como quando se tem vontade de tomar banho. Mas o “sexo express” não é tão natural, não é tão espontâneo, porque há certas formas e limites que quando se está com seu companheiro ou companheira não existem. Então, você tem que se comportar seguindo uma certa pauta. Entende?

A pior parte desse tipo de sexo pode ser no final, quando o ato chega ao fim e você não tem nada a dizer nem a fazer.

Quais são os tipos de orgasmo feminino!

O sexo express tem regras claras?

Várias pessoas procuram esses parceiros através de chats. Eles até podem ser casadas e amarem seus parceiros ou parceiras, mas também afirmam se amarem, por isso buscam se satisfazer. Muitas vezes fazem isso porque se casaram muito jovens e não tiveram muitas experiências anteriores.

O sexo com outras pessoas é algo que inclusive melhora a relação com seus parceiros, porque com os outros experimentam coisas que depois fazem em casa.

Elas, muitas vezes topam fazer sexo com pessoas muito diferentes. As vezes, por exemplo, gostam de uma certa “violência”. Isso pode até não dar prazer, mas gostam.

O “sexo express” tem regras claras e uma delas é não pedir carinho. Sexo é sexo, amor é outra coisa. Essa pessoas tem os seus parceiros para me acariciarem diariamente. Elas creem que o principal pecado que as pessoas cometem no sexo sem compromisso é não saberem separar as coisas.

Sexo sem amor, é perigoso?

Sexo sem amor, é saudável

Quem busca no sexo aquilo que é próprio do amor (plenitude, doação, felicidade), encherá a própria vida somente de vazio.

O rompimento entre amor e genitalidade pode levar à dicotomia entre destreza sexual e pobreza amorosa.

Então, muitas pessoas se tornam ótimos na cama, mas paupérrimas no momento do amor com compromisso.

No momento que a novidade e a paixão desaparecem e entra o tédio, neste momento acredita-se que o amor tenha acabado (quando realmente nunca existiu). Aqueles que uma vez pensam amar-se, terminam cansados um do outro.

A inversão do processo de encontro no casal ofende a experiência do amor verdadeiro. Só o amor verdadeiro que deve levar à sexualidade, e não o contrário.

Ao fazer o contrário, corre-se o risco de olhar a outra pessoa somente através dos olhos eróticos e de considerar que a compreensão sexual pode ser suficiente para unir-se com amor a outra pessoa, o que não se deveria fazer.

Em um mundo moderno e erotizado, mas ao mesmo tempo carente do verdadeiro amor, as pessoas são chamadas a lutar para conseguir formar uma geração capaz de retornar a ligar indissoluvelmente a genitalidade e o amor humano. De modo que o sexo não será mais fonte de vazio por ser uma fonte de plenitude.

Sexo sem amor, é saudável

Portanto ama das grandes fontes de discussão é a relação que existe entre o amor e o sexo, e vice-versa. Até que ponto pode existir amor em um casal, sem que haja sexo? Até que ponto pode se dar uma relação sexual sem envolver o amor?

Chamam-no de “amor platônico”, “amor cortês” ou, às vezes, amor de mentira. A pergunta é: pode haver amor verdadeiro entre um casal sem que ocorra o encontro sexual?

Para uma resposta mais prática, primeiro deveremos apontar para um fato que, às vezes é desprezado: sexualidade não é igual à genitalidade.

Afirmar isso pode ser difícil de compreender, em especial para os homens. Eles não conseguem compreender que a sexualidade vá para além dos genitais.

A maioria das mulheres, ao contrário, sabem que a sexualidade é um âmbito que abriga toda uma constelação de experiências sensoriais.

Um beijo ou um abraço são expressões da sexualidade, não somente um “couvert”. As mãos, a voz, as carícias, são formas de aproximação sexual em um casal.

Vamos voltar ao ponto central? Existe amor sem sexo? A resposta rotunda é YES. Em se falando de sexualidade, não há normas rígidas e imutáveis. Pelo contrário: nenhuma norma deve ser dada como absoluta.

E você acha que Sexo sem amor, é saudável? Gostaria de ver qual é a sua opinião, escreva aqui nos comentários que vou adorar ler!

Mulher com a libido baixa pode sofrer com disfunções sexuais!

Gostou? Compartilhe!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.